Assine nossa newsletter para se manter atualizado com dicas, notícias e promoções.

Zé Ramalho canta “Admirável Gado Novo” sob luz verde e amarela

Luzes de Zé Ramalho em Shows Geram Polêmica

A iluminação de palco nos shows de Zé Ramalho vem usando luzes verdes e amarelas quando o cantor começa a entoar o clássico “Admirável gado novo”.

Polêmica nas Cores da Bandeira Nacional

A escolha pelas luzes ao cantar a música vem sendo interpretada como uma alusão ao sequestro das cores da bandeira brasileira pelo bolsonarismo. O jornalista Guilherme Amado em sua coluna no Metrópoles destacou a conexão entre a iluminação de palco e a representação política.

Segundo Amado, a combinação de cores durante a performance do músico tem gerado debate nas redes sociais e entre os fãs. A utilização das luzes verde e amarela durante a canção emblemática tem sido vista como um posicionamento crítico em relação ao atual governo.

Para muitos fãs e espectadores, a escolha das cores carrega significados simbólicos profundos, refletindo um questionamento sobre os rumos do país e a defesa de valores como a democracia e a liberdade. A arte se manifestando de forma sutil, por meio da iluminação e da música, para transmitir mensagens poderosas.

O debate em torno das luzes nos shows de Zé Ramalho evidencia a capacidade da arte de provocar reflexões e despertar consciências. A conexão entre a expressão artística e o contexto político revela a importância da cultura como instrumento de resistência e transformação social.

Ao utilizar a combinação de cores nacionais em suas apresentações, Zé Ramalho não só entoa suas músicas, mas também emite uma mensagem visual que ecoa nos corações e mentes daqueles que assistem ao espetáculo. Uma forma de expressão artística que transcende os limites do palco e dialoga com o cenário social e político do país.

Assim, as luzes verdes e amarelas nos shows do cantor se tornam mais do que meros efeitos visuais, transformando-se em símbolos de resistência e contestação. Uma forma única e impactante de fazer arte e, ao mesmo tempo, comunicar ideias e valores que ecoam além do universo da música.

Facebook
Twitter
Email
Print

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos Parecidos

Zahy Tentehar, atriz, cantora, ativista e artista visual, homenageia suas raízes indígenas em ‘Falas da Terra’

Artista indígena Zahy Tentehar e sua jornada para representatividade na cultura Muita coisa aconteceu na vida de Zahy Tentehar, desde que ela veio para o Rio de Janeiro aos 19 anos “tentar a sorte”. Nascida na aldeia Colônia, no território indígena Cana Brava, no Maranhão, a atriz, cantora e ativista hoje com 34 anos, apresenta

Leia Mais →