Assine nossa newsletter para se manter atualizado com dicas, notícias e promoções.

Apresentação de Maria Pérola no Teatro Padre Anchieta



Artista Pérola Lança EP “Meu Nome é Pérola” em Campinas

Pérola

A cantora Pérola, mulher, preta e nordestina, está lançando seu primeiro EP “Meu Nome é Pérola” em Campinas. Com sua carreira em ascensão, ela se apresentará hoje, às 20h, no Teatro Padre Anchieta, acompanhada por instrumentistas mulheres. O EP conta com quatro músicas, sendo três autorais e uma releitura.

Identidade única

Em suas composições, Pérola aborda temas como representatividade, igualdade no mercado de trabalho, xenofobia, racismo e feminismo. Suas músicas refletem a cultura nordestina de forma marcante, com melodias suaves e uma voz potente que cativa o público jovem.

Destaque para a canção autoral “Tua Hashtag Não é à Prova de Bala”, que levanta questões sobre inclusão no mercado digital. Além disso, Pérola faz uma releitura de “Desde que o Samba é Samba” em homenagem a Caetano Veloso, trazendo influências de Ijexá e samba de roda.

Reconhecimento

Pérola já foi premiada no Prêmio Suburbano Convicto e como Melhor Cantora no Festival Lollo Terra de MPB. Seu projeto musical é realizado por meio do edital ProAC do governo paulista, garantindo o apoio necessário para sua arte florescer.

O show “Meu Nome é Pérola” ocorrerá no Teatro Padre Anchieta, no Espaço Cultural Maria Monteiro, com entrada gratuita por ordem de chegada. Não perca essa oportunidade de conhecer o talento e a voz única de Pérola.

Para mais informações, entre em contato pelo telefone (19) 3733 3592 ou siga no Instagram @culturalmariamonteiro @mariaperola.



Facebook
Twitter
Email
Print

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos Parecidos

Zahy Tentehar, atriz, cantora, ativista e artista visual, homenageia suas raízes indígenas em ‘Falas da Terra’

Artista indígena Zahy Tentehar e sua jornada para representatividade na cultura Muita coisa aconteceu na vida de Zahy Tentehar, desde que ela veio para o Rio de Janeiro aos 19 anos “tentar a sorte”. Nascida na aldeia Colônia, no território indígena Cana Brava, no Maranhão, a atriz, cantora e ativista hoje com 34 anos, apresenta

Leia Mais →