Assine nossa newsletter para se manter atualizado com dicas, notícias e promoções.

Araras são vistas “velando” filhote morto na Avenida Duque de Caxias – Capital.


Voo Próximo

Um incidente emocionante foi registrado na Avenida Duque de Caxias, onde duas araras-canindé foram vistas “velando” o corpo de um colega caído no asfalto. As araras, também conhecidas como araras-de-barriga-amarela, ficaram próximas ao corpo por vários dias, em um comportamento que lembra um choro de despedida.

Comportamento comovente

As araras são conhecidas por serem fiéis e terem comportamentos emocionais semelhantes aos humanos. A bióloga Neiva Guedes do Instituto Arara Azul explicou que essas aves podem passar horas despedindo-se de um ente querido, como se estivessem lamentando a perda.

A bióloga Larissa Tinoco também observou o caso e acredita que o corpo encontrado no asfalto era de um jovem, possivelmente parte de um casal que perdeu seu filhote. O voo próximo e o canto parecido com um choro das araras são na verdade uma forma de chamado, tentando fazer com que o companheiro se junte a eles, em vez de expressar tristeza pela perda.

Acidentes com aves urbanas

Estudos indicam que a principal causa de morte dessas araras em áreas urbanas são os acidentes com a rede elétrica. No entanto, em uma avenida movimentada como a Duque de Caxias, é possível que o animal tenha sido atropelado. Nesses casos, é importante comunicar a concessionária de coleta de lixo Solurb para que a carcaça do animal seja recolhida.

O comportamento dessas araras mostra o quanto essas aves são sensíveis e ligadas emocionalmente. A cena registrada na avenida comoveu muitas pessoas e serviu como um lembrete da importância de proteger a vida selvagem em meio ao ambiente urbano.

Conscientização e proteção

É fundamental que a população esteja ciente dos perigos que as aves enfrentam nas cidades e tome medidas para protegê-las. A conscientização sobre a preservação da vida selvagem e a adoção de práticas seguras para evitar acidentes com as aves são essenciais para garantir a convivência harmoniosa entre humanos e animais.


Facebook
Twitter
Email
Print

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos Parecidos

Zahy Tentehar, atriz, cantora, ativista e artista visual, homenageia suas raízes indígenas em ‘Falas da Terra’

Artista indígena Zahy Tentehar e sua jornada para representatividade na cultura Muita coisa aconteceu na vida de Zahy Tentehar, desde que ela veio para o Rio de Janeiro aos 19 anos “tentar a sorte”. Nascida na aldeia Colônia, no território indígena Cana Brava, no Maranhão, a atriz, cantora e ativista hoje com 34 anos, apresenta

Leia Mais →