Assine nossa newsletter para se manter atualizado com dicas, notícias e promoções.

Artista plástica indígena da etnia macuxi mostra tradições em exposição no Rio de Janeiro



Artista Plástica Carmézia Emiliano se Destaca com Exposição no Rio de Janeiro

Carmézia Emiliano, uma artista plástica de 62 anos, tem conquistado reconhecimento através de suas pinturas inspiradas na cultura da etnia macuxi. Com uma trajetória marcada por superação e talento, Carmézia construiu sua casa, seu ateliê e sua carreira artística a partir de um presente inesperado: tela, pincel e tinta dados por um amigo em 1992.

O Início de uma Jornada Artística

A partir desse gesto generoso, Carmézia descobriu sua paixão pela arte e passou a retratar paisagens de sua comunidade, utilizando tintas naturais feitas com plantas locais. Com o apoio do marido, ela pôde investir em materiais de qualidade e expandir seu trabalho, participando de exposições e bienais em todo o país.

Sua primeira exposição profissional ocorreu em 1996, no Sesc Boa Vista, e desde então ela tem se destacado no cenário artístico nacional. Com o apoio de um professor da Universidade de Brasília, Carmézia participou de importantes eventos como a Bienal Naïfs do Brasil e a Bienal de Artes de São Paulo.

Uma Exposição Imperdível no Rio de Janeiro

Neste sábado, dia 13, Carmézia estará presente na abertura de sua primeira exposição individual no Rio de Janeiro. Intitulada “Carmézia Emiliano e a vida macuxi na floresta”, a mostra acontecerá no Museu do Pontal, na Barra da Tijuca, e promete encantar o público com 21 pinturas feitas com técnicas a óleo e acrílica.

Além disso, Carmézia participará do Festival das Culturas Indígenas, que contará com diversas atrações, como oficinas, exibição de filmes e apresentações culturais. A artista, que dedica grande parte de seu tempo à arte, encontra inspiração em suas raízes e na natureza, retratando em suas obras a riqueza da cultura macuxi.

Valorização da Cultura e da Natureza

Carmézia enfatiza a importância de preservar a cultura de seu povo, mesmo diante dos desafios enfrentados pela comunidade. Com um olhar sensível e criativo, ela busca manter viva a tradição macuxi em suas pinturas, celebrando a riqueza da vida rural e a conexão com a natureza.

Com sua arte, Carmézia não apenas encanta os espectadores, mas também resgata memórias e tradições que moldaram sua identidade. Sua participação no cenário artístico nacional é um reflexo de sua dedicação e talento, conquistando o reconhecimento merecido por seu trabalho excepcional.


Fonte: https://oglobo.globo.com/rio/bairros/barra/noticia/2024/04/07/redes-de-algodao-damorida-com-beiju-e-danca-parixara-artista-plastica-indigena-exibe-tradicoes-da-etnia-macuxi-em-mostra-no-rio.ghtml

Facebook
Twitter
Email
Print

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos Parecidos

Zahy Tentehar, atriz, cantora, ativista e artista visual, homenageia suas raízes indígenas em ‘Falas da Terra’

Artista indígena Zahy Tentehar e sua jornada para representatividade na cultura Muita coisa aconteceu na vida de Zahy Tentehar, desde que ela veio para o Rio de Janeiro aos 19 anos “tentar a sorte”. Nascida na aldeia Colônia, no território indígena Cana Brava, no Maranhão, a atriz, cantora e ativista hoje com 34 anos, apresenta

Leia Mais →