Assine nossa newsletter para se manter atualizado com dicas, notícias e promoções.

Descubra mais sobre a Síndrome do Cabelo Impenteável – 14/03/2024 – Equilíbrio

Charlotte, Mãe de Layla com Síndrome do Cabelo Impenteável, Ensina que o Diferente é Bonito

Uma mãe britânica cuja filha tem a síndrome do cabelo impenteável quer ensinar à menina que o “diferente é bonito”.

Layla, de três anos, foi diagnosticada com a condição rara quando tinha cerca de um ano.

A família vive no vilarejo de Great Blakenham, na Inglaterra. A mãe, Charlotte, diz que o cabelo da filha fica constantemente “fofo”, pois carece de proteínas e cresce de uma forma diferente.

O Desafio de Ensinar Consentimento

“Não a tratamos de forma diferente, mas o resto do mundo sim”, conta Charlotte.

A mãe diz que o maior desafio para a família é explicar o que é “consentimento” para Layla —porque outras pessoas não parecem respeitar esse distanciamento ao se aproximar do cabelo dela.

As pessoas simplesmente chegam e tocam nela”, relata Charlotte. “Como você ensina a uma criança que não é certo chegar e tocar em alguém?”

A mãe conta que, desde cedo, as pessoas notavam que o cabelo de Layla era diferente. Depois da terceira ou quarta infecção nas unhas da criança, a família decidiu fazer exames.

Educando e Enfrentando a Diferença

Um tricologista (especialista em cabelo e couro cabeludo) ficou “emocionado porque foi o primeiro caso que viu”.

“Fiquei chocada, sempre soubemos que ela era especial, mas então ela foi diagnosticada como especial”, disse Charlotte.

A mulher criou uma conta no Instagram para “educar as pessoas” sobre a condição e sobre lidar com as diferenças.

“Não há muito que ela possa fazer com seu cabelo e quero que ela o ame. Quero que ela saiba que as pessoas também o amam.”

Conhecendo a Síndrome do Cabelo Impenteável

A síndrome do cabelo impenteável é uma condição rara causada por uma mutação genética.

A ponta do cabelo é mais irregular, às vezes parecendo um triângulo ou um coração.

Normalmente, a ponta do cabelo é regular, com um corte transversal, de acordo com pesquisa publicada no American Journal of Human Genetics.

Segundo pesquisadores, a condição, que geralmente ocorre na infância, melhora com o passar dos anos na maioria dos casos.

Facebook
Twitter
Email
Print

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos Parecidos

Zahy Tentehar, atriz, cantora, ativista e artista visual, homenageia suas raízes indígenas em ‘Falas da Terra’

Artista indígena Zahy Tentehar e sua jornada para representatividade na cultura Muita coisa aconteceu na vida de Zahy Tentehar, desde que ela veio para o Rio de Janeiro aos 19 anos “tentar a sorte”. Nascida na aldeia Colônia, no território indígena Cana Brava, no Maranhão, a atriz, cantora e ativista hoje com 34 anos, apresenta

Leia Mais →