Assine nossa newsletter para se manter atualizado com dicas, notícias e promoções.

Pedido de penhora de Olavo de Carvalho é concedido a Caetano Veloso – 05/03/2024 – Famosos



Caetano Veloso penhora dinheiro de Olavo de Carvalho após processo

Caetano Veloso penhora dinheiro de Olavo de Carvalho após processo

O cantor Caetano Veloso conseguiu a penhora do dinheiro proveniente das vendas do livro de Olavo de Carvalho, morto em janeiro de 2022, para receber o valor que a Justiça julgou procedente após vencer processo contra o guru do ex-presidente Jair Bolsonaro.

Em 2017, Caetano entrou com ação por ser chamado de pedófilo pelo líder bolsonarista. A Justiça concedeu liminar, decidindo pela remoção do conteúdo na internet, sob pena de multa diária de R$ 10 mil, nunca cumprida. A dívida acumulou e ultrapassou os R$ 3 milhões.

Segundo o TJ-RJ, a 50ª Vara Cível do Rio determinou a penhora do dinheiro arrecadado com a venda dos livros de Olavo de Carvalho pela Editora Record.

Antiga briga e queixa-crime

Essa briga entre Olavo e Caetano é antiga. Logo no início, a advogada Clara Leite explicou a necessidade de uma carta rogatória na Virgínia para fazer a intimação a Carvalho.

Em 2019, Olavo registrou uma queixa-crime contra Caetano após um artigo publicado pelo músico na Folha. O documento pedia que Caetano respondesse por calúnia, difamação e injúria.

O advogado de Olavo referia-se ao músico como “canalha” e dizia que Caetano alegava exílio durante a ditadura, mas não mostrava prova. Olavo defendia sua honra.

Em 2021, a Justiça negou recurso de Olavo que alegava incapacidade de pagar a dívida, que continuou se acumulando.

FolhaJus


Facebook
Twitter
Email
Print

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos Parecidos

Zahy Tentehar, atriz, cantora, ativista e artista visual, homenageia suas raízes indígenas em ‘Falas da Terra’

Artista indígena Zahy Tentehar e sua jornada para representatividade na cultura Muita coisa aconteceu na vida de Zahy Tentehar, desde que ela veio para o Rio de Janeiro aos 19 anos “tentar a sorte”. Nascida na aldeia Colônia, no território indígena Cana Brava, no Maranhão, a atriz, cantora e ativista hoje com 34 anos, apresenta

Leia Mais →