Assine nossa newsletter para se manter atualizado com dicas, notícias e promoções.

Portugal leva três artistas da diáspora africana e um jardim crioulo para Veneza | Exposição de Artes





Portugal Leva Bienal de Veneza: Três Artistas da Diáspora Africana

Portugal Leva Bienal de Veneza: Três Artistas da Diáspora Africana

Três artistas-curadoras que representam Portugal na Bienal de Arte de Veneza este ano têm raízes profundas na diáspora africana, especialmente em Angola e Cabo Verde. O projeto Greenhouse, que será apresentado na Estufa Fria em Lisboa, traz uma abordagem única à arte contemporânea.

Artistas-Curadoras e Suas Histórias

Com histórias inspiradoras para contar, as artistas-curadoras têm levado a cultura africana para o cenário artístico internacional. A escolha da Estufa Fria como local de apresentação reforça a conexão das artistas com a natureza e com suas raízes.

Greenhouse: Uma Experiência Multissensorial

O projeto Greenhouse promete transportar os visitantes para um universo de cores, formas e texturas inspiradas na flora africana. A escolha da Estufa Fria como cenário não poderia ser mais adequada, permitindo uma experiência multissensorial única.

Um Olhar Sobre a Diáspora Africana

A presença de artistas da diáspora africana na Bienal de Veneza é um marco importante para a representatividade e diversidade no mundo da arte. O jardim crioulo apresentado no projeto Greenhouse é um convite para uma reflexão sobre identidade e pertencimento.

Envolvimento da Comunidade

Além de ser uma plataforma para as artistas-curadoras expressarem suas visões e narrativas, o projeto Greenhouse também envolverá a comunidade local, promovendo a diversidade cultural e estimulando o diálogo intercultural.


Facebook
Twitter
Email
Print

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos Parecidos

Zahy Tentehar, atriz, cantora, ativista e artista visual, homenageia suas raízes indígenas em ‘Falas da Terra’

Artista indígena Zahy Tentehar e sua jornada para representatividade na cultura Muita coisa aconteceu na vida de Zahy Tentehar, desde que ela veio para o Rio de Janeiro aos 19 anos “tentar a sorte”. Nascida na aldeia Colônia, no território indígena Cana Brava, no Maranhão, a atriz, cantora e ativista hoje com 34 anos, apresenta

Leia Mais →